jusbrasil.com.br
4 de Abril de 2020
    Adicione tópicos

    Pernambucano ligado ao PCC é denunciado por corrupção ativa e lavagem de dinheiro

    Além de apresentar falsa carteira de habilitação, o denunciado ofereceu a um policial o dinheiro proveniente de crime contra o sistema financeiro para não ser preso.

    há 7 anos

    O Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA) denunciou na quinta-feira, 6 de fevereiro, um pernambucano por corrupção ativa, uso de documento falso e lavagem de dinheiro. A.L.F.L., que é foragido da Penitenciária de Getulina/SP, foi preso em flagrante na madrugada do dia 13 de maio de 2012 na BR 101, município de Ubaitaba/BA, com uma falsa carteira de habilitação e portando, em espécie, 112,6 mil dólares, além de 6,4 mil reais. O dinheiro estava escondido embaixo do assento do banco traseiro do veículo ao qual o réu se encontrava no momento em que foi abordado por policiais militares.

    Além de apresentar a falsa carteira de habilitação, que estava no nome de outra pessoa, A.L.F.L. ofereceu a um dos policiais o dinheiro ilícito em troca de não ser preso, consumando, dessa forma, o crime de corrupção ativa, momento em que recebeu a voz de prisão. As investigações permitiram descobrir que o denunciado mantém vínculos com a organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), conhecida por seu alto grau de articulação e sua forte presença no sistema penitenciário paulista.

    Na denúncia, o procurador da República André Batista Neves argumenta que há indícios mais que suficientes de que o dinheiro transportado por A.L.F.L. - com o intuito de ocultar e dissimular a sua natureza, a sua origem criminosa e sua propriedade - eram provenientes de crime contra o sistema financeiro nacional (evasão de divisas) praticado pela organização criminosa PCC.

    A.L.F.L. está preso e vai responder a ação penal por uso de documento falso, cuja pena varia de dois a seis anos de reclusão e multa; corrupção ativa (reclusão de dois a 12 anos e multa) e por lavagem ou ocultação de dinheiro (reclusão de três a dez anos e multa).

    Cadastre-se para receber as notícias do MPF/BA em seu e-mail.

    Assessoria de Comunicação

    Ministério Público Federal na Bahia

    Tel.: (71) 3617-2295/2296/2474/2299/2200

    E-mail: [email protected]

    www.twitter.com/mpf_ba

    13/02/2013

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)